[esse é um texto que achei perdido nas minhas coisas… quando comecei a escrever ele, tava pensando em fazer um conto longo, mas sei que não o terminarei. segue a parte que já tava escrita.]

Minha vó já me dizia que na época em que as histórias ainda eram estórias, existiam finais felizes e amores eternos. Também existiam rainhas e princesas, duques e duquesas, palhaços e bailarinas. E foi um pouco antes dessa época que aconteceu uma grande e bela estória, que lhes contarei da melhor forma que minha velha memória me permitir.

Em uma cidadezinha muito pequena, no litoral de nosso país, vivia um garoto que era completamente apaixonado pela sobrinha de seus vizinhos. Como a moça morava em outra cidade e ele não tinha dinheiro pra viagem, eles só podiam se ver uma vez por ano, quando ela visitava seus tios.

Se conheceram muito jovens e, mesmo não sendo uma prática comum àquela época, já haviam até trocado um punhado de beijos e juras de amor eterno. No ano que vem, prometeu a moça, venho te visitar nos primeiros dias da primavera. Pode esperar por mim, meu amado.

Como naquela época nem os calendários nem as estradas eram muito confiáveis, a moça acabou demorando três semanas a mais do que planejara. A ansiedade do garoto era tanta, que já não sabia o que fazer. Um ano era até possível esperar, mas três semanas era tempo de mais.

Como todo garoto inseguro e afoito, achou que a moça já havia se apaixonado por alguma outra pessoa, uma vez que ela estaria um ano mais velha e ainda mais bela. Por não suportar a espera das três semanas, acabou tomando uma decisão precipitada: aproveitou que um tio seu chegara de uma longa viagem e contara estórias incríveis sobre piratas, decidiu que se tornaria pirata e, assim como seu ele, zarparia pelo mundo sem rumo, sem laços e cheio de aventuras, amores e estórias para viver e se esquecer do amor não correspondido. Era uma boa oportunidade. Pelo menos foi o que ele pensou, entre lágrimas e sonhos com o porvir.

É assim que começa a história que minha avó me contou. E se você se interessar pelo resto, pode puxar um tamborete, sentar à mesa que minha véia já tá quase passando um cafézinho pra gente…