Antes meu problema fosse estar meio cheio ou meio vazio.

Meu problema é não gostar de ser quem sou.

Tem dias que quero ser taça, mas logo vejo que não tem graça

Ser muito chique e ver tanto chilique.

Então penso em ser tulipa. Viver na boca do povo.

Brindar, brindar e brindar, sem nunca me embebedar.

Mas o que não suportaria é ter esse nome de flor.

Não suportaria as malditas piadas…

E assim vou, pensando em ser caneco, xícara ou cabaça.

Mas pelo visto, nada disso tem muita graça.

Seria melhor ser de vidro, de porcelana ou de plástico?

São tantas as opções, mas nenhuma me deixa fanático.