Se eu fosse escrever uma música, eu contaria a história daquele cara que, mesmo sendo comum demais pra se destacar, acabou se tornando um dos presos mais respeitados do presido de segurança máxima do estado.

Eu cantaria os detalhes de sua aparente tranqüilidade e do seu olhar firme. Falaria de cada uma das suas dezessete tatuagens e porque não fumava. Contaria como, quando e porque foi preso. Mas pra isso, teria claramente que falar dela.

Ela, a moça mais linda que ele já vira – não o culpe, pois você também ficaria impressionado com a beleza dela, digo isso, porque eu fiquei – era simples e calma. E como a maior parte das moças que convivem nos enredos desse tipo de histórias, vinha de família problemática e só queria seu porto seguro nos braços de um homem que a fizesse mulher.

Ele, por coincidência vinha da Bahia – Camaçari e não de Porto Seguro – tinha samba no pé, olhos e pele escuros e era seu porto seguro. Sabia exatamente o que falar e quando não falar. Esse era seu forte. Nunca se incomodou em ficar calado.

Provavelmente eu não cantaria sobre sua pouca instrução ou sua impaciência com tarefas manuais. Talvez falasse que a tatuagem, a que cobria praticamente seu peito inteiro, tinha o nome dela. Cantaria todos os motivos que o levaram para a cadeia, porque essa seria uma música triste que falaria sobre a loucura de um homem que vê sua mulher perder a vida ao parir um filho seu. Sobre a loucura de um homem, que, nessa mesma noite, depois de três garrafas da pinga mais barata, se desentende com o policial que ali também bebia e que falava demais. Cantaria que depois que sua mulher morrera ele nunca mais sambou ou sorriu, nem ele nem o guarda da cara e da farda ensangüentadas.

E no refrão cantaria que Orfeu ao ver aquele filho seu tão triste, se perguntaria onde foi parar o samba daqueles pés? Me diga, meu Deus, onde foi parar?

(Quem não conhece meu gosto musical pode ouvir nesses links algumas das músicas que me serviram de inspiração pra criar o texto:  Johnny Cash – Folsom Prison Blues |||   Everlast – White Trash Beautiful |||  Elvis Presley – Don’t Cry Daddy |||  O Rappa – Homem Bomba )